• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Categoria recusa proposta dos Correios e mantém estado de greve em Minas Gerais

Trabalhadoras e trabalhadores lotam assembleia em Belo Horizonte e aprovam prorrogação do ACT 2018/2019, para ampliar mobilização da base

Publicado: 01 Agosto, 2019 - 14h56 | Última modificação: 01 Agosto, 2019 - 15h32

Escrito por: Sintect-MG

Sintect-MG
notice

Em assembleia da categoria, realizada na noite de quarta-feira (31), na Praça Sete, Centro de Belo Horizonte,  trabalhadoras e trabalhadores dos Correios de Minas Gerais rejeitaram a proposta apresentada pela direção da Empresa – de 0,8% de reajuste salarial sobre o salário base, menos que a inflação medida pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), com retirada de diversos direitos históricos da categoria. Os ecetistas mantiveram o estado de Greve e aprovaram a prorrogação do ACT 2018/2019, que deve servir para que o Sindicato dos Trabalhadores das Empresas dos Correios de Minas Gerais (Sintect-MG) amplie a mobilização na sua base e apoie outras bases, como Rio de Janeiro e São Paulo, para construir uma greve forte e unificada nacionalmente, caso as negociações não avancem. Uma nova assembleia ficou marcada para a próxima quarta-feira, 7 de agosto.

A decisão da assembleia do Sintect-MG acompanhou o restante do País, neste momento, deixando claro que a qualquer momento a categoria pode deflagrar a Greve Geral, caso a Empresa insista nos ataques. As centenas de trabalhadores que estiveram presentes não apenas repudiaram a proposta da ECT, como se colocaram na linha de frente da luta em defesa do Acordo Coletivo de Trabalho, que tem ligação direta com a privatização dos Correios.

O secretário-geral da Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais (CUT/MG), Jairo Nogueira, e a deputada estadual e presidenta da CUT/MG, Beatriz Cerqueira (PT), estiveram presentes na atividade. Além de fazerem votos de sorte na luta da categoria, se colocaram à disposição para ajudar na construção de canais que ampliem a mobilização para um debate também com a sociedade brasileira sobre a importância de defender os Correios como empresa pública, 100% Estatal.

A direção do sindicato, por sua vez, destacou que o atual momento é de intensos ataques à classe trabalhadora e, nesta conjuntura, os ecetistas desempenham papel fundamental na luta contra a privatização das estatais, contra a Reforma da Previdência e demais ataques do Governo Federal.

 Ampliar a mobilização e a luta contra a retirada de direitos!

Lutar por aumento real!

Lutar contra a privatização dos Correios!