• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

CUT/MG pede ao governo federal o cancelamento da atuação da Força Nacional de Segurança do Estado

Para a Central, reforço ao aparato repressor vai agravar ainda mais o quadro de enfrentamento que existe em Minas

Publicado: 20 Junho, 2013 - 15h02

Escrito por: CUT/MG

notice

O governo do Estado contribui, mais uma vez, para o acirramento do conflito na relação com os movimentos sociais e o movimento sindical com o pedido de envio da Força Nacional de Segurança a Minas Gerais, com o objetivo de auxiliar a Polícia Militar na vigilância e repressão às manifestações e protestos durante a Copa das Confederações.

Tal providência, para a Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais, evidencia ainda mais a natureza arbitrária do governo Anastasia, que, em vez do diálogo e do respeito à diversidade, vem desencadeando um processo de criminalização e a judicialização das lutas dos movimentos sociais e sindicais no Estado.

No mais recente episódio, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais  proibiu manifestações em todo o Estado de Minas Gerais durante a Copa das Confederações e determinou multa de R$ 500 mil por dia a quem desobedecer a decisão.  Por sua vez, a Polícia Militar, sob as ordens do governador, atua de modo truculento, reprimindo com muita violência as manifestações públicas como aconteceu no dia 17 de junho, em protesto articulado pelo Movimento Passe Livre, Comitê Popular dos Atingidos pela Copa e outros.

A CUT/MG entende que o reforço ao aparato repressor do Estado vai agravar ainda mais o quadro de enfrentamento que existe em Minas Gerais há mais de dez anos e pode ter consequências trágicas, pelas quais o governo Anastasia deverá ser responsabilizado.

Por isso, a CUT/MG enviou, nesta quinta-feira (20 de junho de 2013), ofício ao secretário-geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, pedindo o cancelamento do envio da Força Nacional de Segurança ao Estado.

 

Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais

 

carregando