• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Bancárias e bancários protestam contra tentativa de fatiamento da Caixa

Categoria realiza ato em frente à agência 21 de Abril, no Centro de Belo Horizonte, no Dia Nacional de Luta. Momento é de resistir contra qualquer tentativa de privatização dos bancos estatais

Publicado: 28 Novembro, 2018 - 17h26 | Última modificação: 04 Dezembro, 2018 - 11h32

Escrito por: Rogério Hilário, com informações do Sindicato dos Bancários de BH e Região

Rogério Hilário
notice
Bancárias e bancários em frente à agência 21 de Abril, em Belo Horizonte

Bancárias e bancários se uniram, na manhã desta quinta-feira (29), em ato contra o fatiamento da Caixa Econômica Federal. A manifestação, que faz parte do Dia Nacional de Luta, aconteceu em frente à agência 21 de Abril, na avenida Álvares Cabral, 476, no Centro da capital mineira e foi coordenada pelo Sindicato dos Bancários de Belo Horizonte e Região. Mobilizações e protestos contra o desmanche da Caixa aconteceram em todo o Brasil nesta quinta-feira.  

Apesar do adiamento do leilão da Loteria Instantânea (Lotex) para 5 de fevereiro, o Dia de Luta foi mantido para reforçar a mobilização e chamar atenção da sociedade para a importância de defender a Caixa 100% pública. Durante o ato, os manifestantes distribuíram panfletos e dialogaram com a população.

Bancárias e bancários, juntamente com outras categorias, vão intensificar a luta contra a privatização no dia 6 de dezembro, no Ato Nacional em Defesa das Estatais.

O governo Temer vem tentando enfraquecer o papel social do banco estatal Caixa por meio de cortes de postos de trabalho, fechamento de agências e privatização da gestão do banco. O próximo governo eleito, que toma posse em janeiro de 2019, também já sinaliza no mesmo sentido. Por isso, a luta e organização dos empregados e de toda a população são fundamentais.

“O futuro presidente da Caixa já anunciou que vai fatiar o banco. Por isso estamos nas ruas para evitar que acabem programas como o Minha Casa, Minha Vida, Fies, Pro-Uni, Bolsa-Família e que o banco deixe de administrar o FGTS. Defender a Caixa é defender os pobres, a maioria absoluta da população, que depende dos programas da instituição.  Eles pretendem fazer o mesmo com o Banco do Brasil, que, pela proposta, não seria totalmente privatizado, mas fatiado. Conseguimos evitar o leilão da Lotex (loteria instantânea). O fatiamento, além de enfraquecer atuação dos bancos, vai resultar em demissões em massa. Sem contar que existe um projeto que acaba com a estabilidade dos servidores públicos”, disse Eliana Brasil, presidente do Sindicato dos Bancários de BH e Região.

 Leia também: Sindicato realiza ato contra fatiamento e privatização da CAIXA

Clique aqui para acessar a galeria de fotos do Ato do Dia Nacional de Luta em Belo Horizonte

 

carregando
carregando