• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Movimentos sociais e sindical organizam atos em defesa da Petrobras, dos direitos e da reforma política

Mobilizações e atos conjuntos vão acontecer na porta da Petrobras, em Betim, e no Centro de Belo Horizonte

Publicado: 11 Março, 2015 - 14h09

Escrito por: Rogério Hilário

notice

Dirigentes e militantes de dezenas de entidades, entre elas a Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais (CUT/MG), CTB, sindicatos CUTistas, MST, do MAB,  movimentos sociais,  movimento estudantil e partidos políticos, organizaram, em reunião realizada na terça-feira (10), no auditório da CUT/MG, as manifestações conjuntas desta sexta-feira, 13 de março. As mobilizações começarão às 6h30, na porta da Refinaria Gabriel Passos (Regap), da Petrobras, em Betim. Às 10 horas, a manifestação acontecerá na Praça da Cemig, em Contagem. Às 16 horas, a concentração será na Praça Afonso Arinos, em frente à Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), no Centro de Belorizonte. Em seguida, todos sairão em passeata até a Praça Sete, para participar de um ato público. São esperadas mais de 5 mil pessoas. Manifestações também estão sendo articuladas em Juiz de Fora, Uberlândia, Montes Claros e Divinópolis.

As mobilizações, que acontecerão em todo o país na sexta-feira, são em defesa da Petrobras, pelos direitos, pela reforma política e pelo fim das medidas provisórias 664 e 665.  A Petrobras vive um dos momentos mais difíceis de sua história. Temos visto a campanha nacional para depreciar sua imagem e desmoralizá-la aos olhos do povo brasileiro. Podemos dizer que há um interesse voraz contra a empresa, que vai muito além dos escândalos de corrupção. Sua privatização e a abertura dos campos de exploração do pré-sal para as multinacionais são, sem dúvida, os principais motivos que têm fomentado aqueles que torcem contra o país.

As mobilizações também têm como objetivo dialogar com a população mineira sobre os temas e mostrar a força da união da classe trabalhadora contra o retrocesso. Por isso, estão programados, além das falas dos representantes das entidades e dos partidos, panfletagem e intervenções artísticas.

A reunião de terça-feira (10) foi coordenada pela presidenta da CUT/MG, Beatriz Cerqueira. Participaram pela Central o secretário-geral Jairo Nogueira Filho e o secretário de Comunicação Neemias Rodrigues.

BANDEIRAS DE LUTAS

- Defesa da Petrobras, contra a privatização da estatal, que lucra o correspondente a 13% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional.

- Pelo Plebiscito da Constituinte Exclusiva para a reforma do sistema político e contra o financiamento empresarial de campanha eleitoral.

- Pelo fim das Medidas Provisórias 664 e 665, que alteram direitos da classe trabalhadora.

CUT/MG, CTB, movimentos socais e estudantis convocam a todos os trabalhadores e trabalhadoras a participarem dessa luta em defesa do Brasil e contra o retrocesso.