• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Ato-show "Minas pelas Diretas já": noite de luta e música em Belo Horizonte

Mais de 60 mil vão às ruas e participaram de manifestação político-cultural na Praça da Estação

Publicado: 19 Junho, 2017 - 16h47 | Última modificação: 07 Junho, 2018 - 23h28

Escrito por: Rogério Hilário, com informações da Frente Brasil Popular Minas e da UNE

notice

Mais de 60 mil pessoas participaram, na última sexta-feira (16), em Belo Horizonte, do ato-show “Minas pelas Diretas já”, organizado pelas Frentes Brasil Popular e Brasil Sem Medo e a União Nacional dos Estudantes (UNE), que realizou seu 55° Congresso Nacional na capital mineira. A manifestação político-cultural, que teve como temas “Fora, Temer”, “Diretas, já” e “Nenhum Direito a Menos” teve participação maciça dos movimentos sindical, sociais, populares e estudantis.

A concentração começou por volta das 16 horas, na Praça Afonso Arinos, com apresentação de blocos. Em seguida, todos saíram em marcha até a Praça da Estação, onde aconteceram saudações de líderes políticos e representantes de entidades, além de shows de diversos artistas.

Estiveram presentes representantes de partidos políticos e movimentos sociais como a presidenta da UNE, Carina Vitral; o deputado federal Reginaldo Lopes (PT-MG); a presidenta do PT de Minas Gerais, Cida de Jesus; o ex-secretário de Direitos Humanos da Presidência no governo Luiz Inácio Lula da Silva, Nilmário Miranda; o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo; o ex-ministro e governador do Ceará Ciro Gomes (PDT;  e o dirigente do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos.

A presidenta da PT-MG afirmou que o ato reafirmava o compromisso do povo mineiro com a democracia. “Aqui em Minas faremos resistência contra as reformas arbitrárias da previdência e trabalhista. Faremos resistência conta o avanço do golpe no país. Faremos resistência em defesa das políticas públicas para mulheres, para jovens, políticas para nossos irmãos e irmãs indígenas e quilombolas. Mostraremos das trincheiras de Minas que queremos Fora Temer, Diretas Já e nenhum direito a menos”.

O ex-ministro Cardozo destacou que “a cada dia que passa mais pessoas se convencem que Temer não pode ficar no governo”. “É o povo que tem de escolher quem fica no poder, por isso Fora Temer e Diretas Já”.

Em sua fala para o público, Boulos afirmou que o dia de manifestação foi mais um passo na caminhada pela construção de uma saída popular e democrática para a crise do nosso país. “Temer nunca teve legitimidade e agora perdeu a condição política de governar. A última pesquisa do Vox Populi disse que Temer tem 3% de aprovação”.

O dirigente do MTST ressaltou que há três caminhos possíveis para o Brasil. Um deles seria a permanência de Temer e o outro seria a troca de presidente por eleições indiretas, mas nenhuma dessas opções seria aceitável.

“Tem um terceiro caminho e é por isso que a gente toma as ruas. É sair o Temer e o povo decidir quem vai governar o Brasil. Diretas Já é a bandeira que unifica a maioria do povo brasileiro e os movimentos sociais e norte a sul”.

Ele ainda destacou que as diretas precisam vir junto com a luta contra a retirada de direitos. “As Diretas Já têm que vir com direitos. É Diretas e barrar a reforma da Previdência, Diretas e barrar a reforma trabalhista. É isso que a gente quer e só na rua vamos fazer isso virar realidade”.

Unidade e arte

No palco artistas locais conhecidos em Minas e também nacionalmente emprestaram sua música para reivindicar a democracia, a saída de Michel Temer e a realização de novas eleições no país. Uma das que deu a sua mensagem foi a cantora Fernanda Takai: “A gente vê essas lideranças dos estudantes aqui, a Ana Júlia, que está aqui, a Carina [presidenta da UNE], a Camila [presidenta da UBES], pessoas que representam tão bem um povo novo que vem com vontade de fazer alguma coisa a respeito da sua própria realidade, é um exemplo pra gente”, disse para a multidão presente. 

Ela destacou a unidade de movimento presentes: “Se a gente consegue agregar políticos, outros artistas, entidades, organizações sejam quais forem, a gente precisa achar pontos em comum. Nosso ponto em comum agora, imediatamente, é tirar o Temer e ter Diretas Já”, pontuou.
 
Fernanda cantou músicas da sua banda Pato Fu num dueto com a cantora Érika Machado. Para Érika, participando do evento elas podem mostrar que não estão de acordo com o que está sendo feito com os nossos direitos e com o nosso país. “É mostrar para todo mundo que também não concordamos. É muito importante a presença de todo mundo, as mulheres.Eu, além de mulher, também sou gay, então é muito importante pra mim, para a minha presença neste mundo. Esses direitos mexem muito com o nosso conforto aqui na vida”, disse.
 
O rapper mineiro Flávio Renegado, parceiro de longa data da UNE, agitou a galera com suas músicas autorais. “ É sensacional poder ver o povo na rua em pleno feriado comparecendo a este ato. Estamos contribuindo com a nossa arte para melhorar o nosso país, estamos lutando pelo direito do povo de poder votar e escolher seu presidente de uma forma correta. Não acreditamos que com golpe, governo golpista vai governar a gente. Queremos ser governados por quem nós escolhemos”, discursou.
 
Durante o ato o palco abriu espaço para todos os estilos musicais, refletindo o que é atualmente a cena mineira, da MPB ao samba e forró, passando pelo rap e o rock. Se apresentaram ainda os cantores Sérgio Pererê, Maurício Tizumba, Marina Machado, Pereira da Viola, Aline Calixto, Titane, Di Souza, Pedro Morais, Flávio Delegado e Orquestra Royal.
 
UNE elege Marianna Dias nova presidenta
 
Neste domingo (18/06) terminou em Belo Horizonte o 55º Congresso da União Nacional dos Estudantes (UNE). A estudante de Pedagogia da UNEB (Universidade do Estado da Bahia), Marianna Dias (25), natural de Feira de Santana (BA), foi eleita presidenta da entidade durante a Plenária Final do encontro, realizada no Ginásio Mineirinho, em Belo Horizonte.
 
Candidata da chapa “Frente Brasil Popular: A unidade é a bandeira da esperança”, Marianna Dias obteve 3.788 votos (79%) e assumirá a presidência da UNE pelos próximos dois anos. Cinco chapas foram inscritas. Em segundo lugar veio a chapa “Fora Temer, rumo à greve geral contra as reformas” com 690 dos votos (14,33%). Em terceiro a chapa “Vem que a UNE é nossa” com 148 dos votos (3.09%). Em quarto a chapa “Fora Temer, eleições gerais já. Mutirão na UNE” com 85 dos votos (1,77%) e em quinto a chapa “Reconquistar a UNE: por nenhum direto a menos, fora temer, diretas já!”, com 84 dos votos (1,75%).
 
A nova presidenta reforçou a unidade entre as forças populares e do movimento estudantil para derrotar o governo de Michel Temer.
 
“Só será possível transformar o Brasil que a gente vive se tivermos muita unidade. Eu tenho a convicção que com a força de sete  milhões de universitários desse Brasil nós seremos vitoriosos”.
Durante a plenária final foi aprovado também por unanimidade o reconhecimento do 31º Congresso Nacional da UNE, realizado em 1971, que elegeu o mártir estudantil Honestino Guimarães presidente da entidade. Desta maneira, agora o próximo congresso da UNE será o de número 57.
 
Marianna estará à frente da UNE em um momento especial para os estudantes, quando a entidade irá celebrar 80 anos de fundação no dia 11 de agosto deste ano.

 

carregando
carregando