• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Bancárias e bancários realizam ato em defesa das empresas públicas m BH

Diálogo com a população acontece em frente à Agência Século, da Caixa, no Centro da capital mineira

Publicado: 05 Julho, 2018 - 13h41 | Última modificação: 05 Julho, 2018 - 13h56

Escrito por: Rogério Hilário, com informações do Sindicato dos Bancários de BH e Região

Rogério Hilário
notice

 

Dirigentes, militantes e associados do Sindicato dos Bancários de Belo Horizonte e Região dialogaram com a população e com os funcionários dos bancos públicos na manhã desta quinta-feira (5), em frente a Agência Século da Caixa, na Praça Sete, Centro da capital mineira. O ato fez parte do Dia Nacional de Mobilização em Defesa das Empresas Públicas e da Soberania Nacional e integra o calendário de lutas aprovado pelo Comando Nacional dos Bancários em defesa de direitos e do Brasil.

Com apoio da Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais (CUT/MG) e de sindicatos CUTistas, bancárias e bancários, de bancos públicos e privados, denunciaram a falta de compromisso do governo golpista e ilegítimo de Michel Temer com o povo brasileiro e com a soberania nacional não surpreende mais ninguém. O pré-sal está sendo entregue às multinacionais estrangeiras de graça, a educação e a saúde estão sendo sucateadas, sem recursos até para custeio e, agora, os golpistas intensificam os ataques às empresas públicas.

“Nós estamos nas ruas no Brasil inteiro em defesa das empresas públicas há muito tempo. Mas, na atual conjuntura em que o governo golpista tem como pauta principal a privatização da Petrobras, da Eletrobrás, dos Correios, da Caixa, do Banco do Brasil, do BNDES, da Casa da Moeda, entre outros setores, o debate sobre a importância das empresas, dos bens e dos serviços públicos precisa ser intensificado. Na Caixa, por exemplo, o governo indicou representantes dos bancos privados para compor o Conselho, que é o órgão que decide as políticas do banco. A sorte é que temos Rita Serrão como representante e que tem impedido que a Caixa se torne uma sociedade anônima”, disse a presidenta do Sindicato dos Bancários, Eliana Brasil.

“É fundamental que a população se engaje nesta luta, pois o que está em jogo é o patrimônio do povo e a soberania nacional. Estamos diante da entrega das empresas públicas para o capital estrangeiro e até para empresas públicas de outros países. Para dialogar com o povo brasileiro continuaremos realizando atos, manifestações e mobilizações, audiências públicas nas câmaras municipais e na Assembleia Legislativa. Seguiremos firmes em defesa dos interesses do povo brasileiro. Mais do que isso, é preciso levar a discussão para os locais de trabalho e para dentro de casa, apoiar os movimentos sociais, se engajar em mobilizações. Só assim será possível barrar projetos que representam retrocessos e perda de direitos”, afirmou Eliana Brasil.

De acordo com nota do Sindicato dos Bancários de Belo Horizonte e Região, um Brasil soberano, com todos, por todos, para todos, só se faz com a articulação virtuosa entre políticas públicas, investimento público e empresas públicas. Caixa, Banco do Brasil, BNDES, Petrobras, Eletrobrás, Correios, Embrapa, Casa da Moeda e tantas outras empresas públicas são parte da solução para os problemas do país. Por isso, é fundamental reforçar que defender as empresas públicas é defender o Brasil. Se é público, é para todos.

 

carregando
carregando