• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

CUT/MG, sindicatos, servidoras e servidores se unem contra a PEC 32

Manifestação acontece na Assembleia Legislativa, quando estava programada audiência pública para debater os impactos da Reforma Administrativa

Publicado: 13 Agosto, 2021 - 20h40

Escrito por: Rogério Hilário, com informações da ALMG

notice

 

Trabalhadoras e trabalhadores, dirigentes sindicais e apoiadores se uniram nesta sexta-feira, 13 de agosto, em frente à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) para dar fortalecer a luta contra PEC 32 (Reforma Administrativa). A proposta de reforma significa o desmanche do serviço público. Servidoras e servidores se mobilizaram e fizeram a manifestação para que os deputados estaduais interfiram junto aos federais para que seja evitado mais este ataque contra a população brasileira, contra o patrimônio público e a soberania nacional.

Lutar contra a PEC 32 é defender que o povo brasileiro tenha a garantia dos serviços públicos. Lutar contra a venda dos Correios e lutar contra a entrega da Copasa e da Cemig ao capital estrangeiro.

A manifestação aconteceu durante o debate sobre os impactos da proposta de Reforma Administrativa em audiência da Comissão de Administração Pública da ALMG.

A PEC 32/20 já recebeu parecer pela admissibilidade da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados e aguarda parecer de 1º turno da Comissão Especial criada para analisar a proposta.

Não aos retrocessos e não às privatizações.

#ForaBolsonaro, #ForaZema

CPI da Cemig

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Cemig inicia uma série de reuniões destinadas a ouvir funcionários da empresa. Eles terão de comparecer à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), como convocados, para prestar esclarecimentos.

O objetivo da CPI é apurar denúncias de ilegalidades na gestão da Cemig desde 2019, que teriam gerado prejuízos ao interesse público. Entre os alvos da investigação, estão contratações diretas, realizadas sem licitação, de serviços de consultoria e assessoramento técnico, tanto pela estatal como pelas suas subsidiárias.

Já nesta segunda-feira (16), a comissão recebe Débora Lage Martins, superintendente de Auditoria Interna da Cemig. Na condição de testemunha, ela será questionada sobre contratações diretas realizadas pela empresa. A reunião será às 14 horas, no Auditório José Alencar, a requerimento dos parlamentares Professor Cleiton (PSB), Sávio Souza Cruz (MDB) e Beatriz Cerqueira (PT).

Duas outras reuniões estão agendadas para quinta-feira (19), também no Auditório José Alencar, para ouvir servidores investigados. Às 9 horas, o gerente de Provimento e Desenvolvimento de Pessoal da Cemig, Rômulo Provetti, será interrogado sobre contratações diretas de empresas de headhunters, especializadas na seleção de executivos no mercado. O requerimento é do deputado Professor Cleiton.

Já às 14 horas, será a vez do diretor-adjunto de Gestão de Pessoas da Cemig, Hudson Felix Almeida. Ele também deverá esclarecer contratações diretas realizadas pela estatal. Nesse caso, novamente, o requerimento é dos deputados Professor Cleiton e Sávio Souza Cruz e da deputada Beatriz Cerqueira.

A CPI tem poderes para investigar, analisar documentos, tomar depoimentos, colher provas, auditar contratos, operações financeiras e dados bancários de empresas e pessoas.