• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

CUT Minas se solidariza com a vereadora Dandara Tonantzin

Mulher, negra, jovem, a parlamentar sofreu ataques racistas nas redes sociais

Publicado: 08 Julho, 2021 - 11h40 | Última modificação: 08 Julho, 2021 - 11h46

Escrito por: CUT/MG

notice

A Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais (CUT/MG), por intermédio da Secretaria de Combate ao Racismo e toda a sua base, se solidariza com a vereadora Dandara Tonantzin (PT), vereadora de Uberlândia. Mulher, negra, jovem, a parlamentar sofreu ataques racistas nas redes sociais.

Na quarta-feira, 7 de julho de 2021, ao discordar de um vereador, no plenário da Câmara Municipal, ela fez um debate pautado no respeito e na política. O parlamentar, de forma mal-intencionada, cortou trechos da fala de Dandara de forma contextualizada e levou às redes sociais. Seguidores, açulados pelo vereador, ofenderam e discriminaram a vereadora com comentários preconceituosos, racistas, misóginos e, seguramente, criminosos.

Dandara Tonantzin acionou a polícia civil e conseguiu identificar a autora de um dos comentários. Eles chegaram a ir até o local onde a pessoa trabalha, mas ela se negou a atender a polícia. Além de se configurar como crime de racismo, também se trata de violência política de gênero, pois é um ataque contra a presença de mulheres negras nos espaços.

Em um espaço curto de tempo, foram ofendidas e atacadas, além da vereadora Dandara, as deputadas estaduais Beatriz Cerqueira (PT) e Andréia de Jesus (PSOL). Representantes da extrema direita, do machismo e da misoginia se instalaram em governos e no Parlamento e manifestam, impunemente, suas ideias abjetas e retrógradas. E ainda incentivam apoiadores a usar as redes sociais para disseminar o preconceito.

Para Secretaria de Combate ao Racismo e toda a base CUTista, não podemos aceitar quaisquer atitudes de quem se compactua com a discriminação e os ataques a todos os princípios da democracia e direitos construídos e consolidados pela luta de todo o povo brasileiro. E muito menos ataques às mulheres na atividade parlamentar, que se tornaram constantes nestes tempos sombrios.