• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

CUT/MG se solidariza com o Sinpro Minas, educadoras e educadores do setor privado

Entidade e categoria resistem a ataques dos representantes patronais por não concordar com o retorno das aulas presenciais sem o controle da pandemia de Covid-19

Publicado: 02 Fevereiro, 2021 - 13h35 | Última modificação: 04 Fevereiro, 2021 - 13h05

Escrito por: CUT/MG

notice

A Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais (CUT/MG) e as entidades de sua base no Estado se solidarizam com o Sindicato dos Professores do Setor Privado (Sinpro Minas), trabalhadoras e trabalhadores  em educação do setor, que vêm sofrendo pressões e ataques das representações patronais por se posicionar contrariamente ao retorno das aulas presenciais sem que o controle da pandemia de Covid-19 e por lutar por vacinação, urgentemente, para todas e todos.

Para a CUT/MG, infectologistas e especialistas, o controle da pandemia só acontecerá com a ampla vacinação, assim como o retorno seguro às atividades presenciais. Ainda mais quando o risco é iminente, no caso da educação, para milhões de pessoas – educadoras, educadores e estudantes, em todos os níveis.  Em Belo Horizonte, mais de 2 mil pessoas já morreram, com quase 90 mil casos confirmados. Minas Gerais supera as 15 mil mortes e, no Brasil, o número de vítimas é superior a 225 mil para mais de 9 milhões de infectados. E, pelo ritmo de vacinação imposto pelos governos federal, estadual e municipal, não há ainda perspectiva para a imunização total da população.

A defesa da vida é, acima de tudo, o principal objetivo neste momento, apesar de entender a preocupação de pequenas instituições com a sobrevivência e de trabalhadoras e trabalhadores, ameaçados de perder seus empregos.

Ao contrário do que argumenta o sindicato patronal, não há qualquer garantia de segurança na reabertura das escolas, que submeterá crianças, adolescentes e profissionais à intensificação da transmissão do vírus e à propagação do contágio para familiares e outras pessoas do seu relacionamento.

A Central reafirma seu apoio ao Sinpro Minas e à categoria, por ser sua posição totalmente legítima. Não há condições de reabertura das escolas sem colocar em risco a vida de crianças, suas famílias e dos trabalhadores em educação. Portanto, não há outra defesa possível neste momento das entidades e dos ativistas que defendem a vida e os direitos da classe trabalhadora que não seja a manutenção das escolas fechadas.

#aulaspresenciais so com vacina

 

Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais (CUT/MG)

Federação Estadual dos Metalúrgicos (FEM-CUT)

Federação das Trabalhadoras e dos Trabalhadores na Agricultura Familiar de Minas Gerais (Fetraf-CUT/MG)

Sind-UTE/MG

Sinpro-JF

Sindieletro/MG

Sindados-MG

Sindsep-MG

Sindágua

Sindipetro/MG

Sindibel

Sintect/MG

Sintect/JFA

Sindicato dos Enfermeiros de Minas Gerais

Sindicato dos Metalúrgicos de Belo Horizonte e Contagem

Sindicato dos Metalúrgicos de Alfenas

Sindicato dos Metalúrgicos de Cambuí

Sindicato dos Metalúrgicos de Extrema

Sindicato dos Metalúrgicos de Pouso Alegre

Sindicado dos Metalúrgicos de Varginha

Sindicato dos Bancários de BH e Região

Sindicato dos Bancários de Patos de Minas

Sindicato dos Bancários de Ipatinga e Região

Sinttrurb Uberlândia

Secua/Uberlândia

Sindecon-MG