• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Luta contra a reforma da Previdência se intensifica em todo o país

Centrais, sindicatos e movimentos sociais dialogam com a população de Minas Gerais sobre efeitos do projeto de Bolsonaro. Semana tem muitas ações e ato público em Belo Horizonte e no interior do Estado

Publicado: 19 Março, 2019 - 15h10 | Última modificação: 22 Março, 2019 - 14h39

Escrito por: Rogério Hilário, com informações da CUT Nacional e de Renato Salles/Tribuna de Minas

Sinpro-JF
notice
Ato na Praça da Estação, em Juiz de Fora, contra a PEC da Reforma da Previdência

Nesta sexta-feira, dia 22 de março, Dia Nacional de Luta em Defesa da Previdência, a Central Única dos Trabalhadores (CUT), demais centrais e movimentos sociais estão nas ruas em todo o país para lutar contra essa reforma que acaba com as chances de milhões de trabalhadores de se aposentar. É um esquenta para a greve geral que os trabalhadores vão fazer se Bolsonaro insistir em aprovar essa reforma perversa.

Em Belo Horizonte, as lutas seguem intensas desde a Greve Geral de 2017, que impediu que a reforma fosse aprovada no Congresso. Com seminários, plenárias, paralisações, debates e outras ações, a luta continuou e se potencializou a partir do dia 20 de fevereiro, quando o projeto foi apresentado na Câmara dos Deputados. Neste mês, o combate à reforma foi uma das pautas das manifestações do Dia Internacional de Luta das Mulheres, que, no dia 8, ocupou as ruas do Centro de Belo Horizonte com milhares de pessoas.

Nesta semana, com mobilizações conjuntas, centrais e dos movimentos sociais, estarão durante todo o dia na Praça Sete, para esclarecer trabalhadoras, trabalhadores, aposentados, a população em geral sobre os efeitos nefastos da reforma da Previdência. A panfletagem, o diálogo com a sociedade e até mesmo as projeções de como a PEC vai inviabilizar a aposentadoria estão sendo feitos. Nesta sexta-feira (22), vai acontecer, a partir das 17 horas, um ato convocado pelas centrais, movimentos sociais, Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo rumo à Greve Geral.

Juiz-foranos vão às ruas contra a reforma

No interior, mobilizações e atos começaram logo cedo. Juiz de Fora sediou, na manhã desta sexta-feira (22), um protesto contra a proposta de reforma da Previdência defendida pelo governo de Jair Bolsonaro (PSL). A mobilização iniciou sua concentração às 9 horas, na Praça da Estação, região Central da cidade, e atingiu seu ápice por volta do meio-dia, quando os manifestantes iniciaram uma caminhada pela Rua Halfeld. A marcha teve por intuito abrir diálogo com a população. Segundo os organizadores da ação, 30 mil pessoas estiveram presentes, mas a Polícia Militar não divulgou estimativas.

Ao longo de todo o protesto, representantes de centrais sindicatos e movimentos sociais diversos se revezam nos microfones de um caminhão de som que capitaneou o ato. Coordenadora-geral do Sindicatos dos Professores de Juiz de Fora (Sinpro JF) e representante local da direção nacional da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Cida Oliveira, defendeu a presença dos manifestantes nas ruas para repetir os protestos de 2017. Na época,  com uma greve geral, a reforma da Previdência apresentada pelo então presidente Michel Temer (MDB) acabou naufragando, arquivada no Congresso Nacional.

Além das representações sindicais, o ato também teve a participação de movimentos sociais variados. Diretor do Sindicato dos Servidores Públicos de Juiz de Fora (Sinserpu), Paulo Azarias falou em nome do Movimento Negro Unificado. “São os trabalhadores e as trabalhadoras negras que não conseguirão se aposentar”, discursou, em tom crítico à reforma costurada pelo ministro da Economia Paulo Guedes. Azarias lembrou ainda que o protesto segue agenda nacional que convocou, para esta sexta-feira, mobilizações em várias cidades do país e trabalha para a construção de uma greve geral.

Ao contrário do que diz o governo Jair Bolsonaro (PSL), a reforma da Previdência não vai garantir a aposentadoria das gerações futuras nem da atual, vai restringir o acesso à aposentadoria e reduzir o valor dos benefícios, em especial dos trabalhadores mais pobres.

Se o Congresso Nacional aprovar o texto da Proposta de Emenda Constitucional (PEC 06/2019) milhares de trabalhadores e trabalhadoras não vão conseguir se aposentar e muitos se aposentarão com benefícios de menos de um salário mínimo. E os que já estão aposentados terão o valor dos benefícios achatados. A reforma de Bolsonaro é muito pior do que a do ilegítimo Michel Temer (MDB).

A PEC impõe a obrigatoriedade da idade mínima de 65 anos (homens) e 62 anos (mulheres) se aposentarem, aumenta o tempo de contribuição de 15 para 20 anos para receber benefício parcial e acaba com a vinculação entre os benefícios previdenciários e o salário mínimo. Isso significa que os reajustes dos aposentados serão menores do que os reajustes dos salários mínimos. E mais: a reforma de Bolsonaro prevê que a idade mínima aumentará a cada quatro anos a partir de 2024. Ou seja, a regra para que um trabalhador possa se aposentar no futuro poderá ficar ainda pior.

Reaja agora, ou morra trabalhando

Confira a lista de atos marcados no seu Estado: 

ACRE

  • Rio Branco– ato às 8h, em frente à sede do governo do estado (Palácio Rio Branco), tem panfletagem também

ALAGOAS

  • Maceió - ato às 15h, na Praça Centenário
  • Arapiraca- ato às 9h na Praça da Prefeitura

AMAPÁ

  • Macapá -Ato às 9h, em frente a agência do INSS, na Avenida Marechal Rondon

AMAZONAS

  • Manaus -Concentraqção às 15, na Praça da Polícia. Depois, tem caminhada até a Praça da Matriz, no Centro.

BAHIA

  • Salvador - ato às 9h, no Rótula do Abacaxi
  • Jacobina- às 8h, em frente ao INSS 

CEARÁ 

  • Fortaleza- ato às 8h na Praça da Imprensa (bairro Dionizio Torres) 
  • Acopiara– ato às 8h, na Praça da Matriz
  • Alto Santo – ato ás 7h, Praça em frente ao hospital 
  • Aquiraz – ato às 7h30, na Rodoviária 
  • Aracati – ato às 8h, na Praça dos Prazeres 
  • Barreira – ato às 7h, na sede do Sinsemba 
  • Beberibe –ato ás 8h, no auditório do Sindserv 
  • Camocim– ato às 8h, na Pracinha do Amor 
  • Canindé –ato às 7h, na Praça Tomás Barbosa 
  • Caririaçu – ato às 8h, na sede do SINDSMCAR 
  • Chorozinho – ato às 8h, na Praça da EEF Padre Enemias 
  • Cratéus– ato às 7h, na Coluna da Hora 
  • Cruz – ato às 8h30, Centro da Cidade 
  • Fortim – ato às 8h, Praça São Pedro 
  • Guaiúba –plenária no distrito de água verde, horário a confirmar 
  • Horizonte – ato às 7h, no Estádio Domingão 
  • Iguatu –ato às 8h, na Praça da Caixa Econômica 
  • Ipu – ato às 8h, Praça de Iracema 
  • Itaiçaba– ato às 7h, na EEF Dulcineia Gomes Dinis 
  • Itapipoca – ato às 8h, na Praça dos Motoristas 
  • Jaguaribe – ato às 16h, na Praça do Fórum 
  • Jaguaruana– ato às 9h, na Praça da Prefeitura 
  • Juazeiro do Norte- ato às 16h, no Giradouro 
  • Madalena –ato às 8h, na Praça da Igrejinha de São Pedro 
  • Maracanaú - ato às 16h, na Praça da Estação de Maracanaú 
  • Martinópole– ato às 16h, no Galpão dos Feirantes 
  • Massapê – ato às 7h, na Praça São Francisco 
  • Mombaça – ato às 8hPraça da Matriz 
  • Monsenhor Tabosa – às 8h, na sede do Sindserp 
  • Morada Nova– ato às 7h, na Praça da Matriz 
  • Paracuru– ato às 8h, no Sindicato Rural 
  • Paraipaba – ato às 15h30, na Praça do Hospital 
  • Pereiro– ato às 7h, na Praça da Matriz 
  • Quixeramobim – ato às 8h, no memorial Antônio Conselheiro 
  • Russas– ato às 7h, na Praça Monsenhor João Luiz 
  • Sobral– ato às 7h30, na Praça de Cuba 
  • Solonopole– ato às 9h30, no Ginásio Poliesportivo 
  • Tamboril – ato às 7h30, na sede do Sindicato Dos Trabalhadores Rurais (STTR) 
  • Tarrafas – ato às 7h30, na Praça da Escola Emília Ferreira 
  • Tianguá – ato às 8h, na Praça dos Eucaliptos 
  • Ubajara – ato às 8h, na sede do Sindicato Dos Trabalhadores Rurais (STTR) 
  • Varjota – ato às 16h30, ao lado do Titanic 
  • Viçosa do Ceará – ato às 7h, Praça São Francisco

DISTRITO FEDERAL

  • Brasília- As entidades filiadas deverão realizar reuniões, seminários, assembleias, atos ou paralisações junto a suas bases, denunciando os perigos da reforma de Bolsonaro e construindo a Greve Geral.

ESPÍRITO SANTO

  • Vitória -ato às 8h, com caminhada de Jucutuqyara até o Palácio Anchieta 

GOIÁS

  • Goiânia - às 6h, ato perto da Serra Dourada, na altura do KM 153 da BR

MARANHÃO

  • São Luís- às 8h, INSS - Parque Bom Menino (Centro)
  • Imperatriz - às 8h, na Praça de Fátima

MATO GROSSO

  • Cuiabá - ato às 16h, na Praça Ipiranga
  • Chapada dos Guimarães– ato ás 8h, na Praça Wunibaldo

 

MATO GROSSO DO SUL

  • Campo Grande– 9h, paralisação com ato público, na Praça do Rádio Clube. Em todo o estado a FETEMS realizou assembleias com os trabalhadores, que aprovaram greve geral no dia 22

MINAS GERAIS

  • Belo Horizonte- às 17h tem ato na Praça Sete. Na parte da manhã, sindicalistas e militantes percorrerão com carro de som dois bairros populosos da capital - Barreiro e Venda Nova - explicando as perversidades da reforma de Bolsonaro e fazendo panfletagens.
  • Juiz de Fora - 9 horas - Ato na Praça da Estação, Centro
  • Montes Claros, 16h - Ato na Praça Dr. João Alves (Praça do Automóvel Clube)
  • Cidade de Timoteo– Ato às 17h, na Praça 1º de Maio 
  • Coronel Fabriciano– Ato às 9h, Praça da Rodoviária
  • Ipatinga– Ato às 14h, na Praça 1º de Maio
  • João Monlevade– Ato a partir das 9h, na Praça do Povo
  • Ouro Preto- panfletagem 

PARAÍBA 

  • João Pessoa- Ato às 15h, no Parque Solon de Lucena
  • Campina Grande- ato às 10h, na Praça da Bandeira

PARÁ

  • Belém - às 7h30, concentração em frente ao Banco do Brasil da Avenida Ponte Vargas e caminhada, a partir das 9h, do BB até a agência do INSS, na Av Nazaré.
  • Marabá- pela manhã defronte do INSS e às 15h, seminário sobre reforma da Previdência na Faculdade Carajás

PARANÁ

  • Curitiba - às 9h, concentração na Boca Maldita e às 11h, ato e panfletagem, no INSS, R. João Negrão, 11  
  • Araucária- ato às 7h, em frente a refinaria da Petrobras
  • Paranaguá- às 09h, panfletagem na Praça Fernando Amaro; às 10h, no INSS; às 11h, no Terminal urnano, às 17h, na Ponte dos Valadares: ás 19h30, plenária na Unespar 

PERNAMBUCO

  • Recife- ato às 15h, na Praça  do Derby
  • Petrolina – ato às 8h30, na Praça do Bambuzinho

 PIAUÍ

  • Teresina- ato às 8h, na Praça Rio Branco, em frente ao INSS.
  • Parnaíba- ato às 8h, na Praça da Graça.

 RIO DE JANEIRO

  • Rio de Janeiro - ato às 16 na Candelária. Depois segue em caminhada até a Central do Brasil

RIO GRANDE DO NORTE

  • Natal- às 15h, concentração no INSS, na Rua Apodi 2150. Depois, militantes e sindicalistas seguem em caminhada pelas ruas da Cidade Alta em direção a Praça dos Três Poderes
  • Mossoró - às 6h, manifestação na base da Petrobrás e, às 8h concentração no INSS. Depois, manifestantes seguirão em caminhada pelas ruas do centro da cidade

RIO GRANDE DO SUL

  • Porto Alegre- ato às 18h, na Esquina Democrática
  • Caxias do Sul - ato às 17h, na Praça Dante Alighieri
  • Santa Maria- ato às 17h30, na Praça Saldanha Marinho
  • Pelotas -ato às 18h, no Mercado Público
  • Passo Fundo- ato às 17h, na Esquina Democrática

RONDÔNIA 

  • Porto Velho– Às 9h, seminário sobre a reforma da Previdência na sede do SINTERO, e às 17h, ato na Praça Mal. Rondon (Praça do Baú)

RORAIMA

  • Boa Vista - das 9h às 12h, debate “Reforma da Previdência e os prejuízos aos Trabalhadores”, no auditório Jornalista Alexandre Borges/UFRR.
  • às 15h, ato Contra a Reforma da Previdência com panfletagem, na Praça do Centro Cívico (em frente à Assembleia Legislativa).

às 16h, carreata.

 

SANTA CATARINA

  • Florianópolis– ato às 17h, no Ticen. 
  • Blumenau- ato às 10h, em frente ao INSS
  • Joinville- às 14h tem ato na Praça da Bandeira 
  • Criciúma- às 13h30 tem ato no calçadão da Praça Nereu Ramos 
  • Itajaí -às 16h, tem ato em frente à Igreja Matriz 
  • Lages- às 17h00, tem aulão popular sobre a Reforma da Previdência, no Calçadão Tiago Fiúza de Carvalho

SÃO PAULO

  • São Paulo- ato às 17h, em frente ao MASP, na Avenida Paulista
  • São Carlos - a partir das 9h, na praça em frente ao Mercado Municipal - Centro
  • Bauru -a partir das 14h, Audiência Pública na Câmara Municipal - Praça Dom Pedro II, 1-50 - Centro
  • Campinas - às 10h00 tem Ato dos professores e Servidores Públicos no Largo do Rosário, no centro;                    às 16h30 – Concentração para o ato e panfletagem na rua 13 de Maio e diversos terminais de ônibus; às 18h00 – tem ato político com representante das centrais, das Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, movimentos         sociais e sindicatos
  • Grande ABC - às 7h – Caminhada com a participação dos sindicatos da região saindo da porta da Mercedes Benz e da Ford.
  • Mogi das Cruzes - a partir das 10h tem ato no Largo do Rosário (Praça da Marisa) 
  • Ribeirão Preto -a partir das 17h, concentração na Esplanada Dom Pedro II 
  • Osasco – Ato às9h, em frente à estação de trem da cidade 
  • Carapicuíba– ação às 5h30, em frente à estação de Carapicuíba e, às 9h, ato público no Calçadão
  • Ubatuba- ato às 10h, no Ipiranguinha, POsto BR, e das 11h30 às 18h, no calçadão do centro
  • São José dos Campos- às 10h, na Praça Afonso Pena

SERGIPE 

  • Aracaju- Ás 15h, com concentração em frente à Deso, na Rua Campo do Brito

TOCANTINS

  • Palmas -Ato às 8h, em frente ao INSS 203 Sul, na Avenida NSI