• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Manifestação pressiona governador de Minas a produzir vacinas pela Funed

Publicado: 23 Fevereiro, 2021 - 20h04 | Última modificação: 23 Fevereiro, 2021 - 20h29

Escrito por: Brasil de Fato Minas Gerais

notice

Entidades e profissionais da saúde de Minas Gerais se dizem indignados pela subestimação da Fundação Ezequiel Dias (Funed). A fundação, que é pública e já tem tradição na produção de vacinas, não estaria sendo estimulada pelo governo do Estado a cumprir este papel durante a pandemia. Na manhã dessa terça-feira (23), um ato realizado à porta da fundação e em pontos turísticos de Belo Horizonte denunciou o problema.

 

Representando o Conselho Estadual de Saúde, Ederson Alves da Silva esteve na manifestação para “cobrar investimento do governo de Minas para a Funed”, explica. “É uma fundação fundamental para Minas, que já produz medicamentos, vacinas e soros. É possível por meio da Funed produzir a vacina contra a Covid-19”, afirma Ederson.

Na sua avaliação, se o governo de Minas Gerais tivesse realizado investimentos na Funed desde meados de 2020, a fundação mineira estaria no mesmo patamar que o Instituto Butantan e a FioCruz, no quesito produção de vacinas.

Os organizadores do ato, em nota, indicaram que a Funed poderia ter estabelecido parcerias internacionais, como fizeram a Fiocruz e o Butantã, otimizando seu parque fabril para produzir vacinas desenvolvidas inclusive em universidades brasileiras, como a UFMG, a USP, a UFPR e outras.

Funed já produz medicamentos, vacinas e soros e pode produzir a vacina contra a covid-19

Presença no ato

A deputada estadual Beatriz Cerqueira (PT) esteve na manifestação e cobrou o governador Romeu Zema (NOVO). “Não é incompetência, é uma opção política. O pensamento de que aquilo que é direito – nesse caso uma vacina – tem que ser transformado em uma mercadoria”, avaliou a deputada. “No pior ano que nós vivemos, o governo de Minas diminuiu o dinheiro da saúde”, completou. O deputado estadual Jean Freire (PT) também esteve presente.

O protesto foi oficialmente convocado por 15 organizações, dentre elas a Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais (CUT Minas), os sindicatos de professores, trabalhadores da saúde, farmacêuticos, dos Correios, o Conselho Estadual de Saúde, mandatos parlamentares e coletivos.

Além das atividades na frente da Funed, o manifesto aconteceu simbolicamente, com faixas, na Igreja da Pampulha e na Praça da Liberdade.

Saiba mais sobre a Funed na entrevista com Marluce Oliveira, diretora do Laboratório Central de Saúde Pública da Funed.

 

Caption