• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Petroleiros de MG promovem atraso em protesto contra punição de trabalhador

Petrobrás deu suspensão de cinco dias a funcionário, por ter deixado seu posto de trabalho no final de seu turno, no primeiro dia de greve.

Publicado: 08 Junho, 2018 - 12h02 | Última modificação: 09 Junho, 2018 - 14h27

Escrito por: Sindipetro-MG

notice

Petroleiros de Minas Gerais promoveram um atraso na manhã de quinta-feira (7) em protesto contra a injusta e arbitrária punição aplicada a um trabalhador da Refinaria Gabriel Passos (Regap) durante a greve de 72 horas realizada na semana passada.

O petroleiro recebeu uma suspensão de cinco dias por ter deixado seu posto de trabalho no final de seu turno no primeiro dia de greve - o que é um direito de todo trabalhador.

No entanto, a Petrobrás não só puniu o funcionário sem qualquer discussão com o Sindipetro/MG, como também manteve os demais trabalhadores por mais de 70 horas em cárcere privado dentro da Regap durante a greve.

O ato desta quinta-feira foi realizado com os trabalhadores do G4 (grupo ao qual pertence o petroleiro punido) e também o HA, mas contou com ampla participação de aposentados - entre eles, dois ex-diretores do Sindicato que chegaram a ser punidos com demissão após a greve de 1995.

Também foram realizados atos em várias bases do Brasil nesta quinta-feira. Em Minas, serão realizados atrasos em todos os turnos até o fim da punição do trabalhador - que acontecerá no próximo domingo (10), às 15h30.

O Sindipetro/MG também arcará com todas as perdas salariais que o empregado sofrer em consequência da punição, conforme previsto no estatuto da entidade. Além disso, o departamento jurídico também irá buscar na Justiça a reversão da punição.

carregando