• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Ato simbólico - Parem de nos matar: UPAs não são CTIs

O Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos Municipais de Belo Horizonte (Sindibel) denuncia que nas UPAs da cidade usuários e trabalhadores sofrem com as mortes e situações de catástrofe

Publicado: 02 Abril, 2021 - 17h37 | Última modificação: 02 Abril, 2021 - 17h44

Escrito por: Sindibel

notice

Nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs)  de Belo Horizonte, usuários e trabalhadores sofrem com as mortes e situação de catástrofe. Os sentimentos são de desespero, desvalorização e revolta. Na última quinta-feira, 31 de março, por  falta de espaço no necrotério da UPA da Pampulha, corpos de pacientes que morreram por complicações da covid-19 ficaram expostos em frente à sala de emergência, localizada próximo à portaria da unidade.

Em nota, a Prefeitura de Belo Horizonte informou, na ocasião, que as UPAs da capital têm apresentado um aumento na procura por atendimentos para pacientes com sintomas da covid-19 e que a Secretaria Municipal de Saúde estava trabalhando para atender a todos.

O Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos Municipais de Belo Horizonte (Sindibel) denuncia que nas UPAs da cidade usuários e trabalhadores sofrem com as mortes e situações de catástrofe. A entidade afirma que as pessoas estão morrendo sem a assistência adequada e cobram medidas urgentes da prefeitura e dos governos estadual e federal. A categoria pede para que as UPAS não sejam transformadas de forma permanente em Centro de Terapias Intensivas (CTIs), voltadas para o atendimento de pacientes em estado grave ou potencialmente grave. "Vamos denunciar que as pessoas estão sofrendo e morrendo sem a assistência adequada: as UPAs não são CTIs! E cobrar medidas urgentes da PBH, governo de estadual e do governo federal”, disse o Sindibel em nota.

Como forma de protesto, o Sindicato convocou a categoria para um ato simbólico no dia 7 de abril, próxima quarta-feira, às 13 horas, que será feito com balões pretos e cartazes que serão enviados para todos os trabalhadores das UPAs. O Sindibel aconselhou os profissionais a vestirem roupas pretas e a mostrar os cartazes e balões nas janelas e nas janelas e portas de cada Unidade de Pronto Atendimento.

Orientações a trabalhadoras e trabalhadores para o dia 7 de abril:

1) Irem com roupa preta;
2) receber os balões pretos e cartazes que serão enviados;
3) distribuí-los para todos os trabalhadores das UPAs;
4) às 13h, mostrar os balões e cartazes das janelas e portas de cada UPA.

Solicitamos que sejam feitas fotos para registro e enviados ao SINDIBEL no WhatsApp: (31) 97131-6378

Vamos denunciar que as pessoas estão sofrendo e morrendo sem a assistência adequada: as UPAs não são CTIs! E cobrar medidas URGENTES da PBH, Governo de Minas e Governo Federal.

Diretores do Sindibel estarão presentes no ato da UPA Venda Nova. Ao longo da semana, divulgaremos mais informações. Fique atento às nossas redes sociais!