• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Trabalhadoras e trabalhadores da enfermagem voltam às ruas pelo PL 2564

Publicado: 30 Junho, 2021 - 19h40 | Última modificação: 01 Julho, 2021 - 11h02

Escrito por: Rogério Hilário, com informações do Sindifes e do Sindibel

@luizrochabh / LPS / Mídia Ninja
notice

 

Trabalhadores e trabalhadoras da enfermagem de Belo Horizonte e região metropolitana realizaram nesta quarta-feira, dia 30 de junho, ato e passeata pelo centro de Belo Horizonte para cobrar, do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, a votação e aprovação do PL 2564/2020 que institui o piso da categoria e a jornada de 30 horas. Participaram profissionais dos setores público e privado. Os manifestantes foram às ruas em todo país no Nacional de Luta Pelo Piso da Enfermagem!

Na capital mineira, o ato foi organizado pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Belo Horizonte (Sindibel), em conjunto com o Sindicato dos Enfermeiros de Minas Gerais (SEEMG), o Sindicato dos Trabalhadores em Instituições Federais de Ensino (Sindifes),  o Sindicato Único dos Trabalhadores da Saúde de Minas Gerais (Sind-Saúde/MG) e outras entidades do setor. A mobilização contou o apoio da Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais (CUT/MG), representada pelo presidente da entidade, Jairo Nogueira Filho, outras centrais, dirigentes e militantes de várias categorias, como o Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Correios e Telégrafos do Estado de Minas Gerais (SINTECT-MG), do Sindicato dos Trabalhadores Em Empresas de Processamento de Dados, Serviços de Informática e Similares do Estado de Minas Gerais (Sindados/MG) e da Luta Pelo Socialismo (LPS), e ativistas de movimentos sociais.

A concentração aconteceu na Praça da Liberdade, de onde saiu em passeata por volta das 10 horas, após concentração na Praça da Liberdade, passando pela Avenida João Pinheiro, Avenida Afonso Pena, parando na Rua São Paulo, em frente a Ministério da Saúde, e seguindo para a Praça Sete pela Avenida Amazonas. 

A principal reivindicação da categoria é pela aprovação do PL 2564/2020, também chamado de "PL da enfermagem", que institui o piso salarial para enfermeiros, técnicos em enfermagem, auxiliares de enfermagem e parteiras, além da jornada de 30 horas semanais para toda a categoria.

A enfermagem brasileira é a linha de frente de todos os serviços de saúde do Brasil e vive, nesta pandemia, o momento mais crucial de sua história. Segundo dados do Conselho Internacional de Enfermagem, uma a cada quatro mortes por Covid entre os profissionais da categoria em todo o mundo ocorre no Brasil. Neste sentido, a aprovação do piso salarial nacional e a regulamentação da jornada de trabalho não só é urgente, como essencial para resguarda a vida desses profissionais.

 O senador Rodrigo Pacheco havia indicado a proposta de negociar um piso mais baixo, o chamado piso ético, e desvincular a jornada de trabalho de 30 horas. O PL estabelece o Piso em R$ 7.315,00 para enfermeiros, R$ 5.120,50 para Técnicos, R$ 3.657,50 para os Auxiliares e Parteiras, todos com jornada de 30 horas semanais.

Da base do Sindifes, participaram técnico-administrativos em educação do Hospital das Clínicas-UFMG que paralisaram suas atividades parcialmente para participarem do ato.

Para a coordenadora geral do Sindicato, Cristina del Papa, o ato foi importante para mandar um recado ao Senado, “a Categoria está unida e mobilizada para a luta. Queremos a aprovação do Pl2564 em sua íntegra”, disse.

A hora é agora! Rodrigo Pacheco, coloque o Piso da Enfermagem em votação!

MANIFESTO PELA APROVAÇÃO DO PL 2564/20

Nós, da enfermagem brasileira, vivemos o momento mais crucial de nossa história. Até o dia 4 de maio de 2021, 776 colegas profissionais de enfermagem perderam a vida para a Covid-19, segundo o Conselho Federal de Enfermagem (COFEN). Além disso, no Brasil ocorreu 1 a cada 4 mortes por Covid entre os profissionais da categoria em todo o mundo, segundo dados do Conselho Internacional de Enfermagem.

A enfermagem é a linha de frente de todos os serviços de saúde do Brasil e esteve ao lado de seus pacientes em cada um dos 18,2 milhões de brasileiros infectados pela COVID e 510 mil mortos. E, na esperada vacinação contra a COVID, somos nós, os enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, que executamos cada uma das 92 milhões de doses aplicadas até o dia 24 de junho de 2021 – as vacinas aplicadas por nós salvam vidas!

Os aplausos são um importante reconhecimento desse trabalho. Mas as heroínas e os heróis da enfermagem brasileira merecem mais: o piso salarial nacional e a regulamentação da jornada de trabalho.

Neste momento, o projeto de lei que cria o piso salarial da enfermagem está parado no Congresso Nacional. É preciso que o presidente do senado Rodrigo Pacheco coloque em pauta o PL 2.564/20 em sua integrabilidade, com os valores previstos no PL original e com o limite de 30h para a jornada de trabalho semanal. Para cobrar do senador mineiro, a enfermagem mineira vai se somar com a enfermagem brasileira no Dia Nacional de Paralisação e Luta: vamos para a rua  para garantir a votação!