• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

“Vacina no Braço e Comida no Prato”  

Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais (CUT/MG) realiza a 15ª Plenária Estatutária 

Publicado: 24 Agosto, 2021 - 14h59 | Última modificação: 24 Agosto, 2021 - 16h00

Escrito por: CUT/MG

notice

Enfrentamentos, resistências e lutas pela vida, democracia, cidadania, pelo patrimônio e a soberania do país, por empregos, direitos, conquistas e dignidade da classe trabalhadora em debate para construção de estratégias para contribuir para o futuro do povo brasileiro

A CUT/MG realiza, de forma virtual, nos próximos dois dias (25 e 26 de agosto), a 15ª Plenária Estatutária. Atividade em   um contexto adverso de Pandemia de Covid-19, que tem sido mais letal para a população brasileira, em especial a classe trabalhadora pela negligência criminosa de políticas públicas de um governo genocida comandado por negacionistas e por uma elite inescrupulosa.

Nesta Plenária Estadual, sindicatos e entidades CUTistas construirão e aprovarão propostas que serão levadas para a 16ª Plenária Nacional da CUT, programada para os dias 21 a 24 de outubro, e que tem por objetivo atualizar a estratégia política e organizativa da Central, considerando a conjuntura e a realidade atual da classe trabalhadora. Os resultados comunicarão à sociedade o que a CUT pensa e fará a respeito das questões mais importantes para o destino de trabalhadoras, trabalhadores e de todo o povo brasileiro.

A CUT/MG, sua base, parceiros, apoiadores, dentre eles lideranças e militantes dos movimentos sindical, sociais, populares, estudantis e lideranças políticas, nos últimos três anos, desde o 13º Congresso Estadual (CECUT-MG), realizado no final de 2019 – marcado pelos temas “Lula Livre; Lula Inocente”, pela despedida de Beatriz Cerqueira da presidência da Central, pela posse de Jairo Nogueira Filho e pela transferência da Central para a nova sede, no bairro Colégio Batista -, construíram, organizaram e participaram de diversas atividades, ações em defesa de direitos e por mais conquistas da classe trabalhadora. E que se somaram às lutas pelo emprego, pela vida, contra as privatizações, a reforma administrativa, a carestia, em defesa de vacina para todas e todos, do patrimônio do povo e da soberania nacional.

Neste período de ascensão da extrema-direita, personificada no país pelos governos de Jair Bolsonaro e, em Minas Gerais, de Romeu Zema, aliados em políticas genocidas e de desmonte do Estado democrático de direito.

Por tudo isso, o tema da 15ª Plenária Estatutária da CUT/MG resume as demandas em “Vacina no Braço e Comida no Prato”.